Ômega-3: quando vale a pena tomar?

A nutricionista Juliana Pastore foi entrevistada pela revista Saúde (editora Abril), sobre os benefícios do consumo de ômega-3. Resumimos, para vocês, as principais conclusões.

– Atualmente, não há certeza de que o consumo das cápsulas de omega-3 reduzam o risco de infarto ou derrame de maneira generalizada, os estudos mostram benefício apenas em grupos populacionais específicos. Mas, é possível afirmar, com segurança, que o consumo de duas porções de peixe, fonte de omega-3, por semana reduz o risco de evento cardiovascular e mortalidade.

– Há estudos, inclusive brasileiros, mostrando efeito positivo da suplementação de ômega-3 no tratamento de epilepsia e Alzheimer.

– A suplementação de ômega-3, especialmente de DHA é recomendado para mulheres nos dois últimos trimestres de gestação, durante a amamentação e até os 2 anos de vida da criança. Com acompanhamento nutricional pode ser realizado baseado em fontes alimentares.

– Não há indicação de suplementação para a prevenção de câncer, mas há estudos promissores na associação de omega-3 a tratamentos oncológicos.

– As principais fontes animais de ômega-3 são: cavala, arenque, salmão, sardinha e atum. As principais fontes vegetais são: chia, linhaça e nozes. Somente as fontes animais possuem os ácidos graxos eicosapentaenoico (EPA) e docosahexaenoico (DHA) – capazes de se incorporar nas células e promover efeitos benéficos.

– Há diferentes produtos encapsulados a venda, eles diferem em concentrações dos ácidos graxos EPA, DHA, no tipo de revestimento da capsula e nas associações com antioxidantes ou outros óleos. Só um especialista pode indicar quando há indicação de consumo destas capsulas e qual o melhor produto a ser utilizado.

Juliana de Aguiar Pastore Silva – CRN 5801
Nutricionista

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *