Como evitar a morte súbita durante a prática de esportes

A prática de atividade física é fundamental para a prevenção de doenças, melhora a qualidade de vida e é um dos pilares de uma vida saudável.  Porém, é impossível não lembrar vários casos de atletas jovens, no auge de sua forma física e que faleceram de forma súbita e inesperada durante um treino ou competição. Esses óbitos poderiam ter sido evitados? Quais os riscos de ocorrer um evento semelhante com pessoas que não são atletas, durante uma atividade física rotineira?

O termo Morte Súbita (MS) é uma condição repentina, definido geralmente como o óbito ocorrido dentro das primeiras 24 horas após o início dos sintomas. O cardiologista André Pacheco explica que, durante uma atividade física intensa, o coração é forçado a aumentar o número de batimentos devido à liberação de adrenalina. “Isso pode ser um gatilho de um sistema complexo que envolve uma doença presente e silenciosa, provocando uma cadeia de eventos no organismo que culmina com a morte súbita”, resume André.

Os problemas cardíacos são responsáveis pela maioria dos casos de morte súbita. Acima de 35 anos, a causa mais frequente é a doença coronariana aterosclerótica (obstrução das artérias do coração por placas de gordura) e, em pessoas mais jovens, os principais vilões são as doenças congênitas, como miocardiopatia hipertrófica, anomalias de coronárias e displasia arritmogênica de ventrículo direito, que favorecem o surgimento de arritmias cardíacas malignas. O risco aumenta com a idade, e certos comportamentos favorecem esses eventos, como:

  • tabagismo
  • sedentarismo
  • sobrepeso
  • dislipidemia (presença de níveis elevados de colesterol no sangue)
  • hipertensão
  • intolerância à glicose
  • extremos de temperatura
  • uso de drogas como anfetaminas, esteróides anabolizantes, cocaína

De acordo com o cardiologista André Pacheco, a melhor forma de diminuir a incidência de morte súbita no esporte é, sem dúvida, a prevenção, uma vez que as doenças do coração podem não apresentar qualquer sintoma. “A avaliação médica de um profissional especializado, com a realização de exame físico periódico e exames complementares quando necessário é fundamental para evitar a morte súbita”, orienta André. “As pessoas devem praticar esportes de forma responsável e aproveitar todos os seus benefícios com segurança”, prescreve o cardiologista.

 

 

 

 

 

Dr. André Pacheco Silva
Cardiologista, especialista em Arritmias Cardíacas. (Incor-HC- USP)
Atendimento ambulatorial no CCEM.
Cardiologista no Hospital SOS Cardio e Instituto de Cardiologia de Santa Catarina.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *